Internacional

Naufrágio: Justiça italiana confirma detenção do comandante de embarcação

A justiça italiana confirmou hoje as detenções do comandante e de outro membro da tribulação do navio que naufragou no domingo ao largo da costa da Líbia, provocando a morte de 800 pessoas.

O juiz de instrução decidiu manter detido o tunisiano Mohammed Ali Malek, que as testemunhas indicam ser o comandante da embarcação, bem como o segundo-comandante, considerado cúmplice, o sírio Mahmoud Bikhit.

O comandante é acusado dos crimes de homicídio involuntário, naufrágio involuntário, auxílio à imigração ilegal e sequestro de pessoas, esta última acusação sustentada nos testemunhos de que estariam trancadas no porão da embarcação centenas de pessoas.

Na madrugada de domingo, um navio mercante de bandeira portuguesa, alertado pela guarda costeira italiana, veio em auxílio da embarcação.

A procuradoria da Catânia atribuiu o acidente à sobrelotação de pessoas e à falta de destreza do comandante para manobrar a embarcação, que colidiu três vezes com o navio de bandeira portuguesa e acabou por se virar.

Num outro naufrágio, ocorrido quinta-feira, 84 imigrantes foram resgatados também na costa da Líbia chegaram hoje de manhã ao porto de Catânia.

Estes sobreviventes foram salvos pela guarda costeira italiana, que enviou para o local do desastre o navio Fiorillo.

A embarcação italiana chegou a tempo de resgatar os 84 passageiros, todos homens e oriundos da África subsaariana.

Lusa/SOL