Sociedade

Uma das vítimas do quadruplo homicídio apresentou queixa contra suspeito

Uma das vítimas do quádruplo homicídio ocorrido hoje na Estela, Póvoa de Varzim, o ex-sogro, "apresentou recentemente uma queixa por ameaças" contra o alegado autor do crime, disse fonte da GNR.

A informação foi adiantada no local pelo oficial de Relações Públicas do Comando Territorial da GNR do Porto, tenente-coronel Silva Ferreira, que esclareceu também que duas das vítimas terão sido mortas no interior do café, propriedade dos ex-sogros do suspeito.

As outras duas vítimas terão sido baleadas no interior da residência da família, que tinha ligação directa ao estabelecimento.

A mesma fonte disse à Lusa que os filhos do suspeito, entretanto detido, um rapaz de 16 anos e uma menina de 10, estão a ser acompanhados por uma equipa de psicólogos do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).

O rapaz encontrava-se no café onde ocorreu o crime, que vitimou a mãe, os avós e um meio-irmão, mas não sofreu qualquer ferimento.

Segundo testemunhos recolhidos pela Lusa no local, o jovem terá fugido do café para pedir socorro aos vizinhos.

O detido e a ex-mulher, que estavam separados há cerca de dois anos, tinham uma outra filha comum, de 10 anos, que se encontrava na escola no momento do quadruplo homicídio, segundo a GNR.

Vizinhos das vítimas contaram à Lusa que o suposto autor do crime terá tentado ir buscar a filha à escola, mas não terá sido autorizado.

Outras fontes indicaram que a tentativa de levar a filha da escola ocorreu depois do homicídio.

Um amigo do suspeito relatou à Lusa que o motivo do crime poderá estar relacionado com a partilha dos bens do casal.

De acordo com este testemunho, os bens seriam uma casa e um terreno contíguo, com pavilhões industriais para arrendar.

O crime ocorreu cerca das 09h00 e o suspeito, um empresário, de 42 anos, que, segundo a GNR, durante vários anos esteve ligado à área da comercialização de tectos falsos, foi detido cerca das 10h15, na auto-estrada A3, em Valença.

Segundo fonte do Comando Territorial da GNR de Viana do Castelo, o suspeito foi detido "após ter sofrido um despiste" ao quilómetro 110 daquela auto-estrada, no sentido Porto-Valença, a cerca de dois quilómetros da entrada da ponte internacional de Valença.

A mesma fonte adiantou que são ainda desconhecidos os motivos do despiste da viatura de marca Mercedes, com matrícula espanhola, que o suspeito conduzia.

As quatro vítimas mortais tinham idades entre os 23 e os 70 anos.

A Polícia Judiciária já se encontra no local a averiguar as circunstâncias do caso e motivações do autor.

Lusa/SOL