Internacional

Indonésia executou oito estrangeiros, mas Mary Jane escapou

Oito cidadãos estrangeiros condenados por tráfico de droga foram executados esta terça-feira por um pelotão de fuzilamento.

As execuções a tiro ocorreram na prisão da ilha de Nusakambangan, apesar de uma longa campanha internacional de familiares dos presos e de governos estrangeiros para a suspensão da pena.

O grupo, designado pela imprensa como ‘Bali 9’, incluía um brasileiro, dois australianos e vários nigerianos.

A nona condenada, a filipina Mary Jane Veloso, escapou à execução no último momento devido a um pedido directo da presidência filipina às autoridades indonésias. Em causa, a detenção de outro cidadão filipino que se entregou e que terá confessado ter incriminado indevidamente Veloso.

Mary Jane, apresentada como uma humilde empregada doméstica, poderá regressar ao país natal, onde milhares de pessoas participaram em vigílias pela sua libertação.

A Indonésia, que tem algumas das leis anti-droga mais severas do mundo, suspendeu em 2013 uma moratória à pena de morte. A execução de cidadãos estrangeiros tem causado diferendos com vários países.