Sociedade

Discoteca ‘barra’ entrada a homem por ter deficiência

Um homem de 51 anos foi impedido de entrar numa discoteca, na zona ribeirinha de Abrantes, por ser deficiente. O estabelecimento de diversão nocturna usou o Facebook para comentar a situação.

Segundo o site Blasting News, Francisco Gonçalves, conhecido como Tita, resolver ir com um amigo até à discoteca AquaClub no passado dia 25 de Abril. Uma senhora proibiu a entrada do homem, portador de Trissomia 21, dizendo que não era permitida a entrada de pessoas com deficiência no estabelecimento, deixando apenas entrar o amigo de Francisco.

De acordo com as declarações de uma testemunha ao mesmo site, os dois homens ficaram “chocados”. O amigo de Francisco terá afirmado que não concordava com a medida, mas que aceitava a imposição da porteira, dizendo que esta tinha "metido o pé na poça, e que se iria arrepender de tal frase e atitude".

A gerência do AquaClub usou a sua página no Facebook para comentar o sucedido: “Face ao que tem sucedido, publicado e partilhado quanto ao incidente que envolveu um cidadão e cliente que foi impedido de entrar no espaço AquaClub, em razão da sua deficiência, a gerência informa que ainda não dispõe de todos os dados para poder assumir que os factos publicitados correspondem à verdade. No entanto, pode garantir que não deu quaisquer instruções para impedir a entrada de clientes portadores de deficiência, pelo que não se revê nos actos dos seus funcionários, que eventualmente assim procederam”.

“A gerência já promoveu os necessários processos disciplinares e tudo fará para apurar a responsabilidade dos funcionários envolvidos. A situação que eventualmente ocorreu é lamentável, injusta e estúpida! O AquaClub e AquaPolis são espaços livres e não discriminam raças, credos, etnias ou deficiências. Pelo sucedido, pedimos desculpa e lamentamos profundamente. ‘Tita’, és bem-vindo nesta casa”, lê-se no texto publicado pela gerência.