Opiniao

Orelhas de bullying.

No último episódio do Ídolos, um puto foi gozado por ter umas orelhas enormes e claro que as redes sociais entraram logo em agonia.

Para ficarmos já esclarecidos:

- Foi bonito aquilo que fizeram ao rapaz? Não, não foi. Completamente desnecessário dada a idade dele.

- É preciso este escândalo todo à volta do assunto? Não, não é. Até porque só estão a fazer pior.

Quando o pessoal se inscreve neste programa, já sabe que os “cromos” são parte intrínseca do mesmo e estão sempre muito mais habilitados a ir lá parar do que a vencerem (e até assinam um documento sobre isso). Mas, obviamente, já basta não terem tido amigos ou familiares honestos que lhes dissessem “és um amor de jovem mas tu a cantar pareces o chiar dos travões antes de um acidente em cadeia” e, consequentemente, se espetarem todos a cantar. Não é preciso que, por cima disso, ainda sejam gozados por terem parapentes no lugar das orelhas.

 

Mas agora é que chegamos à parte realmente divertida: a revolta nas redes sociais. Ai coitado do miúdo, ai que isto é bullying, ai que ele vai ser gozado para sempre na escola, ai que ele se ele fosse o Van Gogh ia demorar muito mais tempo a cortar uma orelha daquele tamanho. Um drama incrível. Um chorrilho de posts indignados. E como é que ilustram estes posts? Com a fotomontagem do Ídolos onde puseram umas orelhas absurdas ao rapaz, como é óbvio! Criticamos uma imagem como? Difundindo-a, está claro!

 

 

Lógica? O que é isso? Ninguém sabe, pelos vistos.

 

Primeiro, acalmem-se com isso do bullying. Não sou psicólogo, mas quer-me parecer que é um uso abusivo da palavra. Bullying é “um termo para descrever actos de violência física ou psicológica intencionais e repetidos (…)”. Ora, as imagens do rapaz no Ídolos duraram uns segundos. Vocês que partilham repetidamente (estão a ver onde é que quero chegar com o termo “repetidamente”, não estão?) a imagem dele só estão a piorar drasticamente a situação. Então quem é que está a praticar bullying? Hm? Então…mas como assim? Exacto. Se calhar, convinha usar o cérebro antes de explodir nas redes sociais.

 

 

Não quero, de forma alguma, desculpabilizar o programa. Mas parece-me que a ânsia de polémica que está latente nas redes sociais só veio agravar o problema. Contestem, revoltem-se, insurjam-se. Mas pensem um bocadinho primeiro. Até porque, se calhar, o rapaz viu aquilo em casa (chorou um bocadinho ou riu-se) e depois andou. De repente, vai à net e vê a imagem dele em todo o lado, durante toda a semana, mesmo que a intenção fosse boa. Conseguiram transformar um problema médio num drama mais negro que uma ópera de Wagner.

 

 

Enfim, vai daqui um abraço ao miúdo. Não cantas bem e tens orelhas grandes? Não é por aí que vais desistir. Pensa que o Anselmo Ralph também não está bom dos olhos e canta o que canta.

 

Ou como disse um amigo meu: “o miúdo que vá apresentar o Telejornal e que escreva uns livros”.