Economia

António Costa tem margem para travar venda da TAP

O Partido Socialista poderá beneficiar do calendário para travar a privatização da TAP, caso ganhe as eleições. A formalização da venda só deverá ocorrer no final do ano, depois das legislativas e da análise das autoridades reguladoras. E o caderno de encargos prevê que, “até à liquidação física das compras e vendas a realizar”, o processo pode ser suspenso ou anulado por “razões de interesse público”.

Os prazos favorecem o líder socialista. Com o dia 15 de Maio como limite de entrega das propostas vinculativas para ficar com a companhia aérea, a intenção do Governo é tomar uma decisão até ao final de Junho.

Mas, depois, a escolha do Executivo PSD/CDS-PP terá de ser analisada pelos reguladores nacionais e europeus, prolongando o processo. A formalização final da venda só deverá ocorrer numa data mais próxima do final do ano, já com um novo Executivo em funções.

Leia mais na edição impressa do SOL, já nas bancas

ana.serafim@sol.pt