Desporto

Somague e Sporting em guerra aberta

A Somague acusou hoje o Sporting de "deliberadamente deturpar e manipular factos" e vai requerer uma indemnização ao clube de Alvalade pelos "prejuízos causados pelo incumprimento das obrigações contratuais" na construção do Pavilhão João Rocha.

"Pese embora não seja política da Somague a utilização dos meios de comunicação social para esgrimir argumentos e alimentar polémicas, não pode esta empresa deixar de referir que não correspondem à verdade as afirmações feitas pelo Sporting, que deliberadamente deturpa e manipula os factos", referiu a empresa de construção portuguesa em comunicado.

Na última sexta-feira, igualmente em comunicado, o Sporting anunciou a suspensão do acordo com a Somague para a construção do Pavilhão João Rocha, por incumprimento do previamente estabelecido, tendo de seguida adjudicado a obra à Ferreira Build Power, segunda classificada no concurso.

Na altura, o emblema lisboeta acusou a empresa de construção de violar as condições do Programa de Concurso e de Cadernos de Encargos e por impor alterações que implicariam um novo valor para a obra de 7.818.900 euros mais IVA, um acréscimo de 618.900 euros mais IVA.

"A prestação de serviços iniciada respeitou à elaboração dos projectos de arquitectura, escavação, contenção e estrutura de betão armado. Aquando da elaboração dos referidos projectos, o Sporting pretendeu neles considerar alterações várias, que alteravam a proposta da Somague. A Somague sempre manteve os termos da sua proposta. Ao contrário, pretendeu o Sporting considerar abrangido no preço da proposta, trabalhos nela não constantes e surpreender a Somague com a decisão do termo das negociações após todo o trabalho efectuado", explicou.

Por isso, em "sede própria", a empresa portuguesa vai requerer uma indemnização "por todos os prejuízos causados pelo incumprimento das obrigações legais e contratuais assumidas pelo Sporting".

Lusa/SOL