Economia

Estado criou 930 empregos no primeiro trimestre do ano

Nos primeiros três meses de 2015, foram criados 930 empregos na administração pública, embora o Estado continue a ter menos funcionários do que no período homólogo, tendo perdido 14.415 postos de trabalho, indicam as estatísticas oficiais.

A Síntese Estatística do Emprego Público (SIEP) hoje divulgada revela um saldo positivo de 0,1% face ao trimestre anterior, com um total de 656.750 postos de trabalho nas administrações públicas, e uma quebra homóloga de 2,2% e de 9,7% face a 31 de Dezembro de 2011 (menos 70.544 funcionários).

No entanto, o balanço global das novas entradas face às saídas definitivas foi negativo (menos 591 funcionários).

Os estabelecimentos do Serviço Nacional de Saúde e as escolas básicas e secundárias foram os sectores que mais contribuíram para o aumento do número de trabalhadores no primeiro trimestre, enquanto a administração regional e local perdeu 193 funcionários (-0,1% face ao quarto trimestre de 2014) e os Fundos de Segurança Social 797 trabalhadores (-7,4%).

A remuneração base média mensal (montante ilíquido) que sofreu várias variações desde Outubro de 2011, devido a reduções remuneratórias, recuperou 7,3% em Janeiro de 2015, em termos homólogos, para 1.407,4 euros, que compara com o valor médio mais baixo ao longo da série, de 1.311,4 euros.

O ganho médio mensal, que inclui remuneração base, prémios, subsídios ou suplementos regulares e remuneração por trabalho suplementar teve um acréscimo homólogo de 6,9% em Janeiro de 2015, fixando-se nos 1.616,8 euros, reflectindo igualmente a reposição das reduções remuneratórias e a diminuição do número de funcionários.

As entidades do sector público perderam 215 trabalhadores face ao quarto trimestre de 2014 (-0,5%) e 325 funcionários em termos homólogos (-0,8%).

Lusa/SOL