Internacional

Maioria dos cidadãos da UE no Reino Unido não poderá votar no referendo

A maioria dos cidadãos da União Europeia a residir no Reino Unido não poderá votar num referendo sobre a permanência do país no bloco, anunciou hoje o Governo britânico.

A legislação que permite o referendo será apresentada no parlamento na quinta-feira, com o primeiro-ministro David Cameron a arrancar com uma iniciativa diplomática para reformas entre os 28.

Em comunicado, Cameron indicou que o referendo será "baseado no direito ao voto das eleições nacionais", o que significa que os cidadãos da maioria dos países da União Europeia que são residentes no Reino Unido não vão poder votar.

Habitualmente, têm direito ao voto os britânicos com mais de 18 anos e os residentes do Reino Unido que sejam da Irlanda ou da Commonwealth - organização de 53 membros, a maioria países que pertenciam ao antigo Império Britânico.

A lista inclui, assim, os residentes de Malta e Chipre.

"Esta é uma grande decisão para o nosso país, uma decisão sobre o futuro do Reino Unido", afirmou uma fonte do gabinete de Cameron.

"É por isso que julgamos ser importante que sejam os cidadãos britânicos, irlandeses e da Commonwealth a decidir", disse.

Os cidadãos da União Europeia puderam votar no referendo sobre a independência da Escócia, em 2014, e podem votar em eleições britânicas locais.

Lusa/SOL