Politica

Livro de Miguel Relvas e Paulo Júlio editado em Julho

"O outro lado da governação", livro de Miguel Relvas e Paulo Júlio, é apresentado no dia 02 de julho, em Lisboa, anunciou hoje a Porto Editora.

O anúncio foi feito hoje na conta da editora na rede social "twitter": "Livro de Miguel Relvas e Paulo Júlio apresentado a 2 de julho".

Fonte da Porto Editora disse à Lusa que a obra "revela o que se passou durante o processo da Reforma da Administração Local", é prefaciada pelo ex-presidente do Governo espanhol José Maria Aznar, e será apresentada no dia 03 de julho pelo ex-presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso.

"'O outro lado da governação oferece-nos um relato inédito sobre as dificuldades e as virtudes da governação em Portugal, revelando episódios políticos até agora desconhecidos e destacando as resistências que tentaram, sem sucesso, travar a primeira reforma estratégica e consistente da administração local executada em Portugal desde o século XIX", adiantou a mesma fonte.

"Partindo das suas experiências e vivências pessoais, Miguel Relvas e Paulo Júlio falam das grandes manifestações contra a reforma, das complexas negociações com a 'troika', das relações infrutíferas com o PS e das relações politicamente exigentes com a Associação Nacional dos Municípios Portugueses e com a ANAFRE [Associação Nacional das Freguesias], além de outros temas controversos e pouco conhecidos da opinião pública, como as reservas de setores da maioria que apoiava o Governo e as divergências com o CDS por causa da lei eleitoral autárquica", acrescentou a mesma fonte.

A obra inclui testemunhos de diversas personalidades, nomeadamente, Fernando Ruas, Marcelo Rebelo de Sousa, Pedro Santana Lopes e Luís Marques Mendes, entre outros, o que, segundo a mesma fonte, "reforça o carácter desta obra enquanto documento que proporciona uma análise inédita da história política e institucional contemporânea de Portugal, abrindo novas perspetivas sobre o futuro da governação do país".

No prefácio José María Aznar afirma que "nunca é fácil empreender reformas estruturais, seja em que país for. Apesar disso, a História tem-se construído graças aos reformistas e a indivíduos que foram capazes de superar estes obstáculos".

Para o estadista espanhol "os autores da Reforma da Administração Local de 2011 provaram, com a sua implementação e o culminar da mesma, a sua vontade reformista, a sua visão estratégica e, simultaneamente, a sua capacidade de racionalização, aproveitando a oportunidade oferecida pela crise para dar ao Estado uma dimensão mais justa, poupando uma boa quantidade de recursos públicos".

Miguel Relvas, de 53 anos, foi deputado à Assembleia da República durante mais de 20 anos, pelo PSD, partido onde foi secretário-geral e membro da Comissão Política Nacional. 

No XV Governo, chefiado por Durão Barroso, desempenhou as funções como secretário de Estado da Administração Local, e no atual executivo, presidido por Pedro Passos Coelho, assumiu o cargo de ministro-Adjunto do Primeiro-Ministro e dos Assuntos Parlamentares. Durante este período, liderou com Paulo Júlio a Administração Local e Reforma Administrativa, cujas políticas são apresentadas neste livro. 

Atualmente, Miguel Relvas é consultor de várias empresas. 

Paulo Júlio, de 49 anos, foi presidente da Câmara de Penela durante dois mandatos, e secretário de Estado da Administração Local e da Reforma Administrativa no atual Governo. Durante dez anos ocupou vários cargos de direção de uma empresa multinacional, da qual assumiu a direção-geral para a Europa em 2004 e 2005. Atualmente, é diretor-geral de um grupo português do setor alimentar.

Lusa/SOL