Sociedade

Foi por causa do filho que Isaltino incluiu Shakespeare no seu livro

O filho mais novo de Isaltino Morais tem acompanhado o pai na promoção do livro “A Minha Prisão”, onde o ex-presidente da Câmara de Oeiras conta os 427 dias em que esteve detido na Carregueira por fraude fiscal e branqueamento de capitais. 

No sábado na Feira do Livro, em Lisboa, Afonso, de 12 anos, esteve sempre ao lado do antigo dirigente do PSD. Pousou para as fotografias, sorriu e cumprimentou quem pedia autógrafos.

Ao SOL Isaltino conta que Afonso até colaborou na obra, escolhendo uma citação que ilustra uma das três partes em que se divide o livro de quase 500 páginas.

"Queria explicar a quem me lê a noção do passar do tempo dentro da prisão”, conta Isaltino, que escreveu este diário na cadeia, onde entrou a 8 de Maio de 2013, 15 dias depois de ser detido à porta da Câmara de Oeiras. Afonso quis ajudar o pai e foi para a Internet fazer pesquisas. “Descobriu uma frase de Shakespeare que acabei por incluir na obra”, conta o antigo ministro de Durão Barroso, recitando o mais célebre dramaturgo britânico. “O tempo é muito lento para os que esperam...”

joana.f.costa@sol.pt