Sociedade

João Araújo: “Isto é a declaração de um homem perante as suas circunstâncias”

O advogado de José Sócrates, João Araújo, afirma que a recusa de José Sócrates à alteração da medida de coacção para prisão domiciliária não tem de ser fundamentada com diplomas legais. “Isto é a declaração de um homem perante as suas circunstâncias”, explicou ao Sol o advogado adiantando que o ex-primeiro-ministro “só precisa de comunicar a sua decisão.”

Lusa

Em Fevereiro, numa entrevista ao Jornal i, João Araújo assegurou que Sócrates não deveria aceitar qualquer alteração que não passasse pela libertação: “Não vejo que o senhor engenheiro se sujeitasse a uma coisa dessas. Não vejo. Andar com uma anilha?! Nem os pombos… Não acredito, mas isso é uma questão dele. Eu, pessoalmente, nunca toleraria uma coisa dessas.”

José Sócrates está preso preventivamente desde Novembro de 2014, suspeito de fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais e corrupção.