Vida

Passageiros da Easyjet defendem Kate Moss

      

Os passageiros que estavam no mesmo avião que Kate Moss, de onde esta foi escoltada para fora do aparelho, estão a defender publicamente a manequim.

O jornal britânico Guardian falou com um passageiro, que afirmou não ter notado qualquer problema durante o voo. Disse que os membros da tripulação pareciam estar de ‘mau humor’, acrescentando que o comportamento da modelo de 41 anos não lhe pareceu exagerado.

“Acho que a Easyjet já deve ter lidado com comportamentos muito piores. Para a polícia ser chamada devido ao comportamento impróprio de um passageiro, ter-se-ia visto alguém a correr de um lado para outro, ou a gritar, ou a pôr em perigo o avião, mas não aconteceu nada disso”, afirmou a testemunha ao jornal. O passageiro disse mesmo ter ficado espantado quando viu a polícia. “Era desnecessário”, referiu.

Um outro passageiro afirmou ainda que um membro da tripulação se recusou a servir uma bebida alcoólica a Moss, mas a manequim acabou por se servir de uma garrafa de vodka que trazia consigo. Terá depois ficado agitada, o que levou o piloto a chamar a polícia.

Quando saía do avião, a britânica terá gritado com o piloto. “Ela chamou ao piloto ‘basic bitch' (gajo básico) enquanto a polícia a encaminhava para fora do aparelho”, contou um passageiro ao Daily Mail, acrescentando que a modelo não foi agressiva com ninguém. “A tripulação exagerou”.

O mesmo passageiro explicou que só se apercebeu que Moss estava no avião quando esta se levantou, para ir à casa de banho numa altura de turbulência, 30 minutos antes de chegarem a Londres. Um dos membros da tripulação falou com a manequim, que acabou por regressar ao seu lugar.

A Easyjet apenas referiu que um passageiro foi retirado do avião por comportamento impróprio. O aparelho, que fazia a ligação entre Bodrum (Turquia) e Londres (Reino Unido), aterrou no aeroporto de Luton, no domingo à tarde.

Kate Moss terá viajado para a Turquia para celebrar o aniversário da actriz Sadie Frost.