Sociedade

Administração da RTP distribui pelouros

A administradora da RTP Cristina Vaz Tomé vai ficar com o pelouro dos centros regionais da Madeira e Açores, o presidente tutela a área comercial e multimédia e Nuno Artur Silva é responsável pelos canais e desenvolvimentos de conteúdos.

De acordo com a ordem de serviço publicada na segunda-feira, a que a agência Lusa teve acesso, a administração liderada por Gonçalo Reis refere que, "tendo concluído uma avaliação pormenorizada das diferentes áreas da empresa, do seu estado de evolução e do grau da sua conformidade com o Projeto Estratégico, o Conselho de Administração (CA) aprovou uma nova estrutura para a RTP".

Adianta que, "face aos novos desafios colocados à empresa e tendo presente a reestruturação que agora se leva a cabo, torna-se necessário proceder a uma reconfiguração das áreas de responsabilidade no âmbito da administração", pelo que, na reunião de 11 de junho, o CA decidiu distribuir os pelouros pelos três administradores.

O presidente da RTP, Gonçalo Reis, fica com os pelouros das relações institucionais e arquivo, auditoria interna, núcleo museológico e apoio ao serviço público, cooperação, marketing estratégico e comunicação, comercial e multimédia.

A vogal Cristina Vaz Tomé fica com os centros regionais da Madeira e Açores, a aquisição de conteúdos e controlo de grelha, a área financeira e jurídica, compras e património, recursos humanos e engenharia, sistemas e tecnologia.

As áreas de produção, emissão, o centro de produção Norte, a informação de televisão e rádio, o desenvolvimento de conteúdos e todos os canais, quer de rádio como televisão, ficam sob a alçada de Nuno Artur Silva.

"A presente ordem de serviço produz efeitos a 10 de abril de 2015", refere o documento.

Também na segunda-feira, foram publicadas outras ordens de serviço sobre as estruturas organizativas de várias áreas da RTP.

A administração da RTP é ouvida na quarta-feira na comissão parlamentar para a Ética, a Cidadania e a Comunicação, sobre o relatório e contas de 2014 e plano de atividades e orçamento deste ano.

Lusa/SOL