Internacional

EUA: Igreja de Charleston reabre ao público após massacre

A igreja episcopal de Charleston, na Carolina do Sul (EUA), onde um homem branco armado matou nove negros na passada quarta-feira, organizou a sua primeira missa, desde o massacre, no domingo.


Centenas de pessoas estiveram na igreja para assistir à cerimónia, liderada por um pastor convidado, já que o que pertencia àquela congregação estava entre as vítimas do tiroteio.

A mensagem transmitida foi a de que o alegado autor do crime, Dylann Roof, de 21 anos, falhou na sua intenção de esmagar o espírito de amor e fé entre a comunidade.

"Ali estavam, na casa do Senhor, a estudar a sua palavra, a rezar uns com os outros. Mas o diabo também entrou e tentou assumir o comando. Graças a Deus, aleluia, que o diabo não consegue controlar as nossas pessoas e não consegue controlar a nossa igreja", disse o pastor convidado John Gillison.

Dylann Roof, que já foi formalmente acusado do homicídio das nove pessoas, disse que pretendia lançar uma "guerra racial" ao disparar sobre o grupo e justificou o ato dizendo que os negros se estavam a "apoderar dos Estados Unidos".

Lusa/SOL

Os comentários estão desactivados.