Politica

Ricardo Sá Fernandes: ‘Vou ao Porto fazer campanha’

Ricardo Sá Fernandes é uma das grandes apostas do Livre/Tempo de Avançar no círculo eleitoral do Porto para as legislativas deste ano. O advogado ficou em terceiro lugar nas primárias do partido que escolheram os candidatos a deputados, atrás de Daniel Mota, cabeça-de-lista, e Diana Barbosa, em segundo lugar, um resultado que já é considerado a grande surpresa de uma votação inédita no país. 


Contactado pelo SOL, Sá Fernandes é categórico: “Foi um bom resultado e agora só quero contribuir para um novo ciclo em Portugal”, frisou, para acrescentar que nunca pensou em termos de lugar que pudesse vir a ocupar na lista candidata a São Bento. “Nunca pensei nestes termos. Estas primárias aconteceram em torno de um grande movimento e foi uma experiência muito boa. Foi um sucesso. Estou satisfeito”.

Questionado sobre se terá sido penalizado pelo facto de não ser do Porto, o advogado afasta qualquer leitura ou qualquer lógica. “Parece que fui o segundo mais votado, embora apareça em terceiro lugar devido à paridade das listas. Faço parte de um grupo de candidatos que está empenhado em abrir um novo ciclo. Vou ao Porto fazer campanha e ouvir as pessoas, pode ter a certeza”.

Sem grandes surpresas, Rui Tavares é o cabeça-de-lista por Lisboa e Ana Drago ocupará a segunda posição. O economista José Maria Castro Caldas ocupará o terceiro lugar, enquanto o politólogo André Freire aparece em quinto, atrás da investigadora Filipa Vala.

Em Setúbal, Isabel do Carmo foi eleita para ocupar o primeiro lugar da lista candidata por aquele círculo eleitoral. José Reis, docente universitário, outro dos nomes fortes do Livre/Tempo de Avançar, será cabeça-de-lista por Coimbra.

A actriz São José Lapa e o investigador André Nóvoa (filho do candidato presidencial António Sampaio da Nóvoa) ficaram excluídos do grupo dos mais votados nos 22 círculos eleitorais.

Segundo Luís Moita, presidente da comissão eleitoral, votaram 2.096 militantes e simpatizantes, bem menos do que os 7.850 que estavam inscritas para votar nas eleições primárias do Livre/Tempo de Avançar, plataforma eleitoral que junta o Livre, a Fórum Manifesto, a Renovação Comunista e o MIC-Porto.

ricardo.rego@sol.pt