Internacional

Presidente tunisino diz que é preciso 'estratégia global' contra terrorismo

A Tunísia não pode fazer frente à ameaça jihadista sozinha, pelo que deve ser posta em marcha uma "estratégia global", declarou hoje à agência France Presse o presidente tunisino, Béji Caïd Essebsi.

EPA/MOHAMED MESSARA

A declaração de Béji Caïd Essebsi surge horas depois de um homem armado ter matado pelo menos 37 pessoas, entre as quais turistas estrangeiros, ao abrir fogo indiscriminadamente no hotel International Marhaba, na estância turística de Sousse, cerca de 140 quilómetros a sul de Tunes. O atacante foi morto pela polícia no local.

"Hoje apercebemo-nos que a Tunísia enfrenta um movimento internacional. E não pode responder sozinha a tudo isto", sublinhou o presidente tunisino.

Béji Caïd Essebsi sublinhou que, à mesma hora que ocorria o atentado em atentado terrorista em Sousse, "a França era alvo de uma operação semelhante, e o Kuwait também".

"É a prova de que precisamos de estratégia global e que todos os países que atualmente são democráticos devem unir forças", salientou.

O presidente tunisino, que endereçou condolências às famílias das vitimas, considerou que o ocorrido "é mais do que terrível", porque toda a gente pensa "que está ao abrigo" de algo semelhante.

"Espero que esta seja a última vez, porque estamos dispostos a tomar as medidas mais dolorosas para enfrentar um flagelo ainda mais doloroso", realçou o chefe de Estado tunisino.

Lusa/SOL