Internacional

Um em cada três americanos tem uma arma em casa

Um estudo publicado na revista especializada Injury Prevention revela que há 300 milhões de armas fora dos quartéis nos EUA. A proporção, segundo os dados actuais da demografia norte-americana, seria de uma arma de fogo por habitante. Mas a equipa responsável por esta pesquisa concluiu que há desigualdade no arsenal: alguns possuem mais do que uma arma em casa, sendo a estatística, de qualquer maneira, alarmante, já que situa a posse de armas em um em cada três cidadãos.


Segundo a coordenadora do estudo, Bindu Kalesan, os ataques com recurso a armas de fogo causaram 33636 mortes nos EUA e 84258 feridos. Mas realça, também, o relativo esquecimento das autoridades em relação aos que sobrevivem a disparos, mas que vivem grande parte da vida em salas de operações, num vaivém para os hospitais. Isto, sem contar, evidentemente, com os traumas psicológicos, além dos que morrem poucos anos mais tarde depois de inúmeras cirurgias, e que não entram para a estatística.

“Por cada três pessoas que morrem devido a estas causas nos EUA há sete que sobrevivem, mas que ficam com as vidas severamente comprometidas devido aos ferimentos”, diz Kalesan ao site Live Science. Muitas dessas vítimas, realça a investigadora, são crianças atingidas acidentalmente, outro fenómeno de que ninguém fala nos media.

Kalesan e a equipa também chegaram a outra conclusão, esta mais evidente: o risco de morrer ou ficar ferido aumenta entre os donos de armas. O Alasca é o estado que lidera o arsenal bélico, com 62% dos lares dotados de armas de fogo. O Delaware tem a percentagem mais baixa do país: 5%. O estudo revela ainda que, apesar dos números, 30% dos inquiridos pela equipa de Kalesan confessava a intenção de comprar uma arma no futuro.

ricardo.nabais@sol.pt