Opiniao

Afinal não se discutiu o aborto no Parlamento

Afinal, e ao contrário do que estava previsto, por imposição de Assunção Esteves contra um enervante consenso dos partidos representados na Assembleia, a questão do aborto não ficou esclarecida nem devidamente debatida ontem. Os partidos que nos governam, sempre com terror da democracia e dos cidadãos, decidiram fazer baixar os projectos existentes, para uma eventual e consensual união, a uma Comissão Parlamentar.

O debate ficou agora marcado para o Plenário de 22 de Julho. Veremos se vai realizar-se. De qualquer modo, penso que antes de férias, e das eleições, e do fim da Legislatura, o mais que se conseguirá será uma aprovação na generalidade, com o enterro posterior da suposta deliberação na comissão especializada. E na próxima Legislatura será preciso nova petição, com mais 50 mil assinaturas, para forçar alguma discussão, que não sabemos se alguma vez se fará.

O drama é que, nisto, os partidos são todos iguais, e não se vislumbra alternativa eleitoral viável. Parece que têm tiqu3es nazis, mas preferem esconde-los, em vez de se livrarem deles.