Internacional

Australianos em pânico: 11 mil podem ter apanhado sida no dentista

A notícia caiu como uma bomba esta quinta-feira na Austrália. 11 mil pessoas, de um total de 40 mil clientes de duas clínicas dentárias de Sydney, podem ter contraído sida ou hepatite durante intervenções e tratamentos, por falta de higiene. A mesma ameaça recai sobre os clientes de outras duas clínicas, mas neste caso serão 800 pessoas ‘apenas’.

Houve vários dentistas suspensos, mas o alvo das principais acusações é Samson Chan, um descendente de chineses que era dono das clínicas e cultivava a imagem de um profissional sem mácula, honesto e filantropo. Vivia na Austrália desde 1978 e concluiu o curso de Medicina Dentária em 1986, fundando a primeira clínica ‘Gentle Dentist’ no ano seguinte. Na página dele no Facebook – sem actualizações desde Março, altura em que as autoridades australianas cancelaram ‘discretamente’ a sua licença – é possível ver que o médico nasceu, ou pelo menos passou a infância, em Macau.

As autoridades estavam a investigar as duas clínicas de outro médico, Robert Starkenburg, desde que surgiu uma denúncia em Novembro. Entretanto a investigação acabou por chegar às clínicas Gentle Dentist, mais conhecidas e com muito mais clientes. Samson Chan, que era uma figura bastante conhecida na maior cidade australiana, principalmente entre a comunidade chinesa, foi imediatamente suspenso de actividade tal como quatro dos dentistas das suas clínicas. 

Por outro lado, dos 24 dentistas que trabalhavam para Chan, 11 eram originários da China e utilizavam nomes ingleses que não batem certo com os seus registos. As suspeitas de falta de higiene prendem-se essencialmente com má esterilização de equipamentos, incluindo agulhas, e limpeza dos consultórios em geral.

Quando a história ‘rebentou’ nos media australianos, esta semana, as autoridades de Saúde de Nova Gales do Sul, região onde se situa Sydney, decidiram vir a público confirmar a história, para não causar mais alarme. Os especialistas garantem que a possibilidade de as pessoas terem contraído sida ou hepatite é reduzida, mas estão a chamar as pessoas, muitas delas crianças e jovens, para fazer testes de despistagem.

Mais de um quarto dos pacientes da Gentle Dentist, aqueles que fizeram intervenções médicas mais invasivas, têm de passar pelos testes, sendo contactados pelas autoridades para o efeito. No entanto, nem todos os 40 mil clientes sabem se vão ser chamados ou não, estando quase todos em pânico.

Soube-se entretanto que muitos dos pacientes, venham a descobrir problemas de saúde ou não, ponderam iniciar uma acção judicial contra as clínicas, Samson Chan ou os dentistas entretanto suspensos.

emanuel.costa@sol.pt