Desporto

Campeonato Nacional de Pitch & Putt - João Maria Pontes: Bicampeão aos 14 anos

João Maria Pontes (JMP), de apenas 14 anos (completa 15 em Setembro), sagrou-se hoje bicampeão nacional de Pitch & Putt, ao vencer a 7ª edição do torneio que a FPG organizou no CityGolf, em Matosinhos.

 

Palavras proféticas dado que foi exactamente nos greens que JMP brilhou: «Quando fiz 11 abaixo… entrava no green e era putt lá para dentro. De manhã, na primeira volta, quando fiz 5 abaixo, atingi 17 greens, quando fiz 11 abaixo acertei 18 greens, hoje não contei mas foram uns 15 ou 16. Em todo o torneio só fiz 1 bogey, somei 23 birdies e o resto foi Par. Ontem à tarde, foi um duelo espectacular com a Leonor e adorei, porque eu chegava ao green, ela chegava ao green, metíamos os dois os putts e foi sempre assim, só que eu consegui acabar com 2 birdies nos últimos 2 buracos o que me deu uma boa vantagem, ela fez -8 eu fiz -11 e foi um abuso, aquela volta que dificilmente acontecerá de novo. Hoje eu só queria jogar para a bandeira e meter o putt».

Apesar de jovem, JMP teve uma preparação para o evento digno de um profissional e admite ter beneficiado de um aparentemente estranho factor casa. Estranho por ele ser do Oporto, mas apenas aparente por ter sido em Matosinhos que nasceu para a modalidade: «Na sexta-feira fui lá jogar 45 buracos com o Renato Ferreira e o Daniel Rodrigues. Começámos a jogar às 15h00 e só acabámos às 20h30. Isso deu-me vantagem tal como ter sido ali que cresci, onde aprendi realmente a jogar golfe. Quando tinha 6 anos andei dois anos na Academia do CityGolf e foi lá que comecei a jogar P&P, treinava com os profissionais João Beires e Sérgio Couto».

Nas palavras do jogador do Oporto Golf Club sente-se a alegria que viveu em revalidar o título e em ter fixado um novo recorde de campo. O seu actual treinador, no clube de Espinho, considera que essa atitude é uma das chaves do seu sucesso nestes dois últimos anos.

«Ele é exímio no que toca ao jogo curto. Dos 70 ou 80 metros para dentro é um belíssimo jogador e como gosta dessa modalidade, fá-lo com muita paixão, treina bastante e eu não estava à espera de outra coisa dele que não a vitória. Agora, o resultado… é excelente, sem dúvida. É mérito dele, porque é um miúdo muito dedicado e quando as pessoas se dedicam o sabor da vitória é outro», disse Eduardo Maganinho. 

Para o prestigiado profissional de Espinho, o momento não poderia ter sido melhor: «Como no ano passado tinha ganho o torneio, mesmo dada a proximidade do Campeonato Nacional de Jovens, ele teve de tomar uma opção: em vez de estar a treinar, preferiu – e bem – jogar este Campeonato Nacional de P&P para revalidar o título. Isto veio numa boa altura para o Campeonato Nacional de Jovens, ele vai jogar no escalão de sub-16 e há outros candidatos, mas ele tem grandes hipóteses de ser campeão nacional. Isto deu-lhe um alento grande. Quando se fazem grandes resultados abaixo do Par, seja ou não no P&P, é sempre bom».

O próprio JMP garante que quer aproveitar o bom momento que atravessa. Afinal, dias antes deste torneio, tinha feito um top-ten no Campeonato Internacional Juvenil da Finlândia, onde Pedro Lencart se sagrou campeão.

«Ele está numa boa fase e tem de ter confiança. Nos miúdos, mais até do que nos adultos, há momentos em que lhes custa perceber que no golfe e na vida nem sempre as coisas nos correm bem, há que aguardar, dar tempo, ser paciente para as coisas começarem a sair», explica Eduardo Maganinho.

A exalar confiança por todos os poros, JMP não dá descanso aos tacos. Mal se tinha sagrado hoje bicampeão nacional de P&P e já estava de novo no campo, agora no seu Oporto, para começar a preparação para o que espera que seja a conquista de um primeiro título nacional de jovens no golfe convencional, depois de ter sido campeão nacional de jovens na modalidade de P&P em sub-12 e sub-14.

«Hoje fui fazer mais de 20 buracos a Espinho com a Leonor e o Renato e depois fui logo treinar… Faltam apenas dois dias para o Campeonato Nacional de Jovens – explica – e sinto que cada vez tenho mais vontade de trabalhar e de mostrar às pessoas que afinal não sou um “falta de jeito” e que tenho um treinador que me apoia totalmente, a 100%».

Os olhos estão colocados em novo objectivo, mas deu-lhe muito gozo o sucesso desta manhã: «É sempre bom ganhar este Campeonato de P&P e ainda mais com um resultado destes». 

«Fico muito contente e feliz por ele. É um miúdo impecável», afiançou Eduardo Maganinho, um treinador exigente, mas que também elogia quando é merecido.

Resultados

Os resultados do top-3 do Campeonato Nacional de P&P foram os seguintes:

1º João Maria Pontes (Oporto Golf Club), 140 (49+43+48), -22
2º Leonor Bessa (Paredes Golfe Clube), 145 (48+46+51), -17
3º Rui Pedro Mendes (Paredes), 159 (55+54+50), -3

Sete Campeonatos Nacionais de P&P

ANO LOCAL CAMPEÃO NACIONAL

2015 CityGolf João Maria Pontes (Oporto)
2014 Vidago João Maria Pontes (Oporto)
2013 Cantanhede Hugo Espírito Santo (Qtª. Lágrimas)
2012 CityGolf Hugo Vieira (Oporto)
2011 Rilhadas Hugo Espírito Santo (Qtª. Lágrimas)
2010 CityGolf Hugo Espírito Santo (Qtª. Lágrimas)
2009 Porto Santo Hugo Espírito Santo (Qtª. Lágrimas)

 

Artigo escrito por Hugo Ribeiro, ao abrigo da parceria entre a Federação Portuguesa de Golfe com o Semanário SOL.