Internacional

Deu à luz em casa e os médicos não acreditaram que a bebé fosse dela

Uma britânica foi separada da filha recém-nascida durante três semanas, depois de os médicos duvidarem que a mulher era mãe do bebé.

No início de Junho, Stacie Cottle, de 27 anos, viajou com a filha mais velha, de 3 anos, para ajudar a mãe a encontrar casa em Málaga (Espanha). Grávida de 36 semanas, a londrina entrou em trabalho de parto antes do previsto, no dia 16 de Junho – na véspera de regressar ao Reino Unido. A mulher deu à luz ao fim de 40 minutos, na casa nova da mãe, pode ler-se no Guardian.

Stacie só foi ao hospital dois dias depois e os médicos duvidaram de que a filha fosse efectivamente dela. O pediatra teve dúvidas quanto à idade da bebé, à cicatriz do cordão umbilical e pelo facto de a menina ter nascido fora de um hospital.

A mulher ainda regressou a casa com a filha, mas o hospital contactou a polícia e teve de voltar ao estabelecimento médico para fazer um teste de ADN. A britânica, que ficou na maternidade enquanto a filha ficou na unidade de Neonatologia, só podia ver a filha sob supervisão e para alimentá-la.

“Desde que entrei no hospital até ao último dia, fui chamada várias vezes de criminosa pelos funcionários do hospital e por outros doentes”, afirmou a Stacey.

Uma situação que se arrastou por três semanas, até esta terça-feira, quando saíram os resultados do teste de ADN, que comprovaram que a menina era mesmo sua filha.

Até ao momento, a mulher ainda não recebeu nenhum pedido de desculpa por parte do hospital e está a ponderar processar o estabelecimento. Stacey acredita que questões raciais estiveram na base das dúvidas dos médicos.