Internacional

Eurogrupo dá 'luz verde' a empréstimo intercalar à Grécia

Os ministros das Finanças da zona euro deram hoje um acordo de princípio, numa reunião do Eurogrupo por teleconferência, a um empréstimo intercalar de sete mil milhões de euros à Grécia, confirmou fonte europeia à Lusa.

O encontro por teleconferência aconteceu depois da votação na noite passada das medidas de austeridade exigidas pelos credores no Parlamento grego e serviu sobretudo para discutir o empréstimo intercalar, o chamado 'financiamento-ponte' ou empréstimo intercalar, para garantir que a Grécia consiga fazer face aos próximos pagamentos.

Segundo as estimativas, a Grécia necessita de sete mil milhões de euros até à próxima segunda-feira, 20 de julho, quando tem de reembolsar 3,5 mil milhões de euros ao Banco Central Europeu (BCE).

A ajuda de emergência para a Grécia é imperiosa, já que o terceiro programa de ajuda, acordado na cimeira da zona euro concluída na passada segunda-feira, só deverá estar operacional dentro de cerca de um mês.

A Comissão Europeia propôs na quarta-feira que esse empréstimo seja de sete mil milhões de euros para três meses, financiado através do fundo no qual participam todos os 28 Estados-membros da União Europeia, Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira.

Aos países de fora da zona euro que puseram inicialmente objeções a esta solução, como o Reino Unido, serão dadas garantias extras para que apoiem este financiamento à Grécia através do mecanismo europeu de estabilização financeira (EFSM).

A decisão sobre o empréstimo intercalar terá agora de ser aprovada pelos 28 Estados-membros.

Entretanto, O Parlamento da Finlândia aprovou hoje a disponibilização do 'financiamento-ponte' da União Europeia para a Grécia e a negociação de um novo plano de resgate, anunciou o ministro das Finanças finlandês, Alexander Stubb.

"Temos mandato da Grande Comissão do Parlamento para aprovar quer o financiamento temporário de sete mil milhões proposto pela Comissão Europeia, quer a decisão, sujeita a condições estritas, de aprovar no Eurogrupo o início das negociações para um plano de financiamento ao abrigo do Mecanismo Europeu de Solidariedade da União Europeia para a Grécia", disse o ministro das Finanças aos jornalistas, em Helsínquia. 

Nas declarações aos jornalistas, Stubb insistiu que a Finlândia se opõe a um perdão da dívida pública da Grécia pelos credores internacionais.

Lusa/SOL