Internacional

Mitsubishi pede desculpas a ex-prisioneiros norte-americanos da II Guerra Mundial

O grupo japonês Mitsubishi Materials pediu desculpas aos antigos prisioneiros de guerra norte-americanos forçados a trabalhar nas suas minas durante a II Guerra Mundial, um gesto histórico 70 anos após o conflito.


Hikaru Kimura, um dos responsáveis da empresa, endereçou no domingo "as suas desculpas cheias de remorsos" a James Murphy, de 94 anos, um dos raros prisioneiros norte-americanos forçados a trabalhar no Japão.

Murphy aceitou as desculpas "sinceras e humildes".

"Desde o fim da guerra há 70 anos, os prisioneiros de guerra que trabalhavam para essas empresas japonesas pediam algo muito simples: um pedido de desculpas", disse Murphy numa cerimónia no Centro Simon Wiesenthal, em Los Angeles, dedicado à memória do Holocausto.

"Esperamos que a bondade da Mitsubishi seja agora estendida a todas as outras minas e fábricas que usavam prisioneiros de guerra norte-americanos contra a sua vontade", acrescentou.

Mitsubishi é, aparentemente, a primeira empresa japonesa a pedir desculpas pela situação.

Lusa/SOL

 

Os comentários estão desactivados.