Cultura

Ex-baterista dos AC/ DC acusado de violar condições de prisão domiciliária

Um tribunal da Nova Zelândia acusou o ex-baterista do grupo australiano de rock AC/DC, Phill Rudd, de violar as condições de prisão domiciliária impostas na semana passada, informou hoje a imprensa local.

A polícia neozelandesa deteve Rudd na noite de sábado na mansão de que é proprietário em Tauranga, na Nova Zelândia, quando estava a dar uma festa e a consumir álcool, segundo o diário "Stuff".

O músico, que se declarou não culpado, foi libertado sob fiança, depois de ter passado o fim de semana no calabouço das instalações policiais.

No passado dia 09, um tribunal neozelandês condenou Phil Rudd a oito meses de prisão domiciliária depois de o músico ter sido declarado culpado de três acusações, incluindo proferir ameaças de morte.

Em abril, o músico admitiu em tribunal culpa de posse de droga e ameaça de morte a duas pessoas, duas acusações de que é alvo na justiça.

Phil Rudd tinha sido acusado de, em 2014, fazer ameaças de morte a um empreiteiro e à filha deste e de ter na sua posse metanfetaminas e cannabis.

Nascido na Austrália, Phil Rudd vive na Nova Zelândia desde 1983.

Lusa/SOL