Politica

Rui Rio diz que está 'a ponderar' candidatura a Belém

Rui Rio ainda não decidiu se é candidato presidencial, mas avança que tem "70 a 80 por cento" da reflexão feita. E considera que tem o perfil certo para levar a cabo a grande prioridade do próximo inquilino de Belém: a reforma do regime.

"A decisão não está tomada, ao contrário do que dizem os jornais", garantiu na Grande Entrevista da RTP, na noite passada.

Também esclareceu que " o momento em que avançará, se avançar, não é seguro". "Ninguém está impedido de avançar antes das legislativas", acrescentou, para logo ressalvar que a escolha desse momento "depende da utilidade que isso tem para o país".

A prioridade, se concorrer, será fazer a reforma do regime político. "O desprestígio da política não é mais possível", explicou. E essa reforma contempla a justiça e a comunicação social, considera Rio. Para a fazer, será necessário um "perfil mais interventivo do que tem sido nos últimos 40 anos"

Referindo-se ao processo que levou à prisão preventiva de José Sócrates, o ex-autarca do Porto criticou as violações constantes do segredo de justiça. Admitiu que pode estar a ser "manipulado" por estas fugas de informação que considera inadmissíveis, para ser levado a considerar que o antigo primeiro-ministro é culpado dos crimes por que é indiciado.

"Eu acho que ele é culpado. Mas fico com problemas de consciência se não estou a ser manipulado pelos jornais, em resultado das fugas de informação, em violação do segredo de justiça", afirmou.

Em relação à candidatura presidencial, Rio aproveitou para desmentir que esteja dependente do apoio do PSD para avançar.

manuel.a.magalhaes@sol.pt