Economia

Crédito à habitação dispara em 2015

Os bancos estão novamente a apostar no crédito à habitação, mesmo quando a Euribor está em queda. Para mostrar o empenho das instituições bancárias, verifica-se a descida dos spreads e isso acaba por parecer o cenário ideal para quem pretende adquirir casa.

A comprovar esta ideia estão os números avançados pelo Market Outlook de Julho de 2015, do Gabinete de Estudos da APEMIP - Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal, que demonstram o crescimento na concessão de crédito desde Novembro de 2014 até Abril deste ano.

Na verdade, passou-se dos 199 milhões de euros concedidos em Novembro do ano passado para os 279 milhões em Dezembro e depois 281 milhões em Março deste ano. Já em Abril houve um ligeiro abrandamento, sendo o crédito concedido de 277 milhões de euros. No entanto, só nos primeiros quatro meses deste ano foram concedidos 992 milhões de euros para crédito à habitação.

A média do financiamento concedido tem vindo a subir todos os meses, o que representa algum dinamismo no mercado imobiliário. Também o crédito de cobrança duvidosa na habitação se manteve estável nesse período, entre os 2,54% e os 2,52%, com ligeiras subidas e descidas.

Euribor, spreads e taxas sempre a descer

O que tem vindo a descer desde Janeiro deste ano é a Euribor, sobretudo a 6 meses, a taxa mais utilizada em Portugal para a negociação dos créditos à habitação. O ano começou com uma média de 0,152%, em Fevereiro já se encontrava nos 0,126%, em Março baixou para 0,097%, depois para 0,073% em Abril e ainda 0,057% em Maio. Em Junho a média da taxa desceu para os 0,049%, percentagem que mantém actualmente.

Também em queda tem estado a taxa de juro dos empréstimos concedidos. A TANB (Taxa Anual Nominal Bruta) estava nos 3,01% em Novembro de 2014; em Dezembro baixou para 3,00%; já em Janeiro deste ano caiu para 2,78%; e continuou a descer até aos 2,45% de Abril. Quanto à TAEG (Taxa Anual Efectiva Global), estava em 3,83% em Novembro e em Abril passado já se encontrava nos 3,54%.

Relativamente ao spread médio aplicado aos novos créditos à habitação, no mesmo período temporal começou com 2,83% (mínimo) e 3,65% (máximo), chegando a Abril com 2,38% (mínimo) e 3,47% (máximo).

Também a prestação média baixou, cerca de 13 euros. Em Novembro encontrava-se nos 330 euros e em Abril estava nos 317 euros.

Já o valor médio dos novos créditos concedidos teve uma descida de menor impacto. Em Novembro passado foi de 79.958 euros, descendo para os 78.801 euros em Abril. O mesmo sucedeu na avaliação bancária média por metro quadrado: 1.014 euros em Outubro de 2014 e 1.011 em Março deste ano.

Lisboa continua a ser a região onde os valores médios de avaliação bancária são mais elevados, à frente do Algarve, seguindo-se Madeira, Açores, Norte, Alentejo e por fim do Centro.

Fonte: Gabinete de Estudos da APEMIP

piedadepedro@gmail.com