Internacional

Kim Jong-un quer "vingança" contra EUA

O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, pediu hoje "vingança" contra os Estados Unidos pelos crimes cometidos na Guerra da Coreia, cinco dias antes do 62.º aniversário do armistício que pôs fim ao conflito.

DR  


Kim afirmou que a Coreia do Norte deve "fazer pagar os Estados Unidos pelo derramamento de sangue dos coreanos e ajustar contas o quanto antes com a força das armas", segundo um texto publicado hoje pela agência de notícias oficial KCNA.

Kim Jong-un fez estas declarações numa visita ao Museu de Sinchon das Atrocidades dos Estados Unidos na Guerra da Coreia, localizado no centro de Pyongyang.

Assinado a 27 de julho de 1953, o armistício pôs fim à Guerra da Coreia e confirmou a divisão da península coreana depois de três anos de hostilidades.

Kim Jong-un "disse que o museu serve como um centro para a educação das diferentes classes e uma fonte de desejo de vingança contra o inimigo, assim como um lugar histórico onde se expõem as monstruosas atrocidades dos imperialistas norte-americanos", segundo a KCNA.

O Museu de Sinchon, construído em 1960 e cujas instalações foram ampliadas e modernizadas no ano passado, alberga material sobre os crimes que a Coreia do Norte atribui aos Estados Unidos no conflito ocorrido há seis décadas.

Cerca de 35.000 norte-coreanos morreram na localidade de Sinchon.

A Guerra da Coreia -- o primeiro conflito da Guerra Fria e um dos mais sangrentos da história -- arrasou cidades inteiras na península coreana e custou a vida a cerca de 2,5 milhões de pessoas, segundo estimativas.

Lusa/SOL