Sociedade

Ramalho Eanes laureado com o ‘Nobel da Ásia’

O ex-Presidente da República foi distinguido com o Prémio Internacional da Paz instituído pela Gusi, que é tido como o mais prestigiado galardão do continente asiático. “Uma espécie de Nobel da Ásia”, disse ao SOL uma fonte conhecedora do processo.

O comité de atribuição do prémio escolheu Ramalho Eanes pelo seu contributo “exemplar para a diplomacia da paz” enquanto estadista, e, mais concretamente, pelo papel que desempenhou “para a criação de uma paz duradoura no alargado universo de países de língua portuguesa”.

Criado em 2002 nas Filipinas, o prémio tomou o nome de um capitão - Gemeniano Javier Gusi - que combateu na Segunda Guerra Mundial, e destina-se a distinguir personalidades que em todo o mundo se destacam em diversas áreas da sociedade.

Ramalho Eanes é o primeiro português a ser distinguido com o prémio, que será entregue numa cerimónia a decorrer em Manila a 25 de Novembro. Curiosamente, foi exactamente nesta data, mas em 1975, que Eanes emergiu do anonimato, assumindo a chefia das operações militares contra o chamado ‘golpe dos paraquedistas’, que visava a tomada do poder pela extrema-esquerda. E menos de um ano depois seria eleito Presidente da República.

Adiante-se como curiosidade que, um mês antes da deslocação a Manila, a mulher do general, Manuela Eanes, receberá em Bruxelas o Prémio da Cidadania Europeia, pelo seu trabalho como presidente do Instituto do Apoio à Criança. A ex-primeira-dama já fora distinguida com o Prémio dos Direitos Humanos da Assembleia da República e com a Medalha de Serviços Distintos do Ministério da Saúde.