Internacional

Gaza tem a maior taxa de desemprego do mundo

Milhares de residentes em Gaza passam as segundas-feiras ao sol, num território que sofre o maior nível de desemprego do mundo, agravado pela falta de atividades lúdicas ou impossibilidade de circular devido ao bloqueio israelita apoiado pelo Egito.

Um recente relatório do Banco Mundial advertiu que os bloqueios, a guerra e a pobre gestão do governo estrangularam a economia de Gaza, que tem uma taxa de desemprego de 40%, a mais elevada do mundo, que se agrava com a taxa de 60% de desemprego nos jovens.

Esta faixa costeira de 362 quilómetros quadrados e onde residem 1,8 milhões de pessoas, cujo número sobe em 50.000 anualmente, converteu-se num buraco negro onde as oportunidades de emprego são inexistentes e o empreendedorismo uma quimera, refere a agência noticiosa espanhola Efe.

Israel impôs um cerco à faixa de Gaza, que considera uma área hostil desde que em 2007 o movimento Hamas ficou com o controlo de região.

Perante as pressões internacionais, Israel suavizou as medidas, embora não tenha levantado completamente o cerco, no entanto Gaza sofre ainda com o facto de o Egito ter praticamente encerrado a sua fronteira.

A Organização das Nações Unidas (ONU) publicou recentemente uma informação em que alertava que a faixa de Gaza poderia ser um lugar perigoso para viver até 2020 pela falta de oportunidades de trabalho, água potável, colégios, hospitais e a deterioração das suas infraestruturas.

Lusa/SOL