Sociedade

Autoridade da Concorrência dá ‘luz verde’ à privatização da EGF

A Autoridade da Concorrência (AdC) anunciou hoje que não se opõe à aquisição da Empresa Geral do Fomento (EGF) por parte da SUMA, considerando que a operação "não cria entraves" à concorrência no setor dos resíduos.

Em causa está o processo de alienação de 100% do capital estatal da EGF, responsável pela recolha, transporte, tratamento e valorização de resíduos urbanos, através de 11 sistemas multimunicipais de norte a sul do país, à SUMA (Serviços Urbanos E Meio Ambiente).

Estas empresas têm como acionistas a estatal Águas de Portugal (51%) e os municípios (49%).

A decisão da AdC surge depois de ter sido feita uma "investigação aprofundada" sobre esta operação e ouvidos alguns municípios acionistas das empresas de resíduos.

Lusa/SOL