Politica

Boaventura de Sousa Santos e Machado Vaz mandatários da candidatura L/TdA

Boaventura de Sousa Santos e Júlio Machado Vaz vão ser os mandatários em Coimbra e no Porto, respectivamente, da candidatura cidadã Livre/Tempo de Avançar (L/TdA).

 “Tratam-se de escolhas naturais”, explica fonte da candidatura ao SOL.

A aliança que junta o Livre, fundador por Rui Tavares, a Fórum Manifesto, de Ana Drago e Daniel Oliveira, a Renovação Comunista e o MIC-Porto vai apresentar os mandatários de todos os círculos eleitorais, incluindo o mandatário nacional, até ao final de Setembro.

Boaventura de Sousa Santos, sociólogo e professor catedrático jubilado na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, integrou o Congresso Democrático das Alternativas (CDA) e é um apoiante de primeira hora da candidatura cidadã às legislativas de 4 de Outubro.

Júlio Machado Vaz, psiquiatra, é também um subscritor da plataforma, tendo participado na sua convenção fundadora, em Lisboa. O apoio público ao L/LdA levantou de imediato a questão se o psiquiatra seria ou não candidato às eleições primárias através das quais foram escolhidos os candidatos a deputados. Machado Vaz, porém, tratou de clarificar que não era candidato.

A lista do L/TdA em Coimbra é liderada por José Reis, professor catedrático da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra e investigador no Centro de Estudos Social (CES). Em segundo lugar da lista que vai a votos em Outubro está Isabel Prata e em terceiro Abílio Hernandez.

No Porto, a lista é tem como cabeça-de-lista Ricardo Sá Fernandes. O advogado saiu das eleições primárias no terceiro lugar mas as suspeitas (confirmadas) de fraude do então primeiro classificado, Daniel Mota, obrigaram à recontagem dos votos e à reordenação da lista naquele círculo eleitoral. Diana Barbosa e Jorge Morais são os segundo e terceiro, respectivamente, da lista do Porto. 

A plataforma tem preparada acções de campanha para o mês de Agosto, como as que vão decorrer no Algarve, entre 8 a 16, com a presença de Ana Drago e de Rui Tavares.

O arranque para a campanha está marcado para 12 de Setembro, com um Convenção onde será aprovado o programa eleitoral (que ainda pode receber emendas via internet) ao que se segue um grande comício, ao que tudo indica em Lisboa.

ricardo.rego@sol.pt