Vida

Sylvia Stoel e uns calções. A história que deixou o Twitter revoltado

Uma empregada da cadeia de lojas JCPenney pôs o Twitter a falar sobre o quão hipócritas são os padrões no que diz respeito às peças de roupas que homens e mulheres devem usar no emprego.

DR

Sylvia Stoel, de 17 anos, foi mandada para casa pelo gerente da loja depois de aparecer no local de emprego com uns calções considerados “muito curtos” pelo responsável da loja. No entanto, Stoel argumentou que tinha comprado os calções na própria JCPenney, na secção de roupas para usar no emprego. Mesmo assim, o gerente mandou-a para casa.

“Eu disse [ao meu gerente] que achava injusto ter de ir para casa por causa de uns calções que tinha comprado na nossa loja e na secção de roupa profissional, mas ele insistiu que eu fosse para casa e mudasse de roupa”, disse Stoel ao Huffington Post.

A jovem explicou que só trabalhava na loja há duas semanas. Stoel diz que, durante a formação, foi-lhe dito que estavam proibidos de usar artigos de ganga, t-shirts e tops com alças muito finas e que podiam usar saias que não fossem “muito curtas”. De acordo com Stoel, nunca foi feita uma referência ao uso de calções.

Sylvia Stoel demitiu-se naquele dia. Após o incidente, publicou uma fotografia no Twitter com a roupa que tinha levado para o trabalho e com uma breve explicação do que se tinha passado. Várias pessoas partilharam a sua história, gerando um debate sobre o impacto da roupa que a pessoa usa no emprego e a forma como as mulheres são tratadas no meio profissional.

O Huffington Post tentou falar com a JCPenney, mas o porta-voz da empresa não comentou a situação.

joana.alves@sol.pt