Vida

Tamara, a idosa serial killer que descreveu os homicídios num diário

Uma idosa confessou ter matado pelo menos 10 pessoas durante duas décadas, em São Petersburgo, na Rússia.

Tamara Samsonova, de 67 anos, terá decapitado e desmembrado as suas vítimas, refere o Mirror.

Os detalhes dos homicídios estavam descritos num diário, em três línguas diferentes: russo, inglês e alemão. As autoridades estão agora a comparar as descrições com homicídios, cujas vítimas foram desmembradas, e que nunca foram resolvidos.

Em sua casa, foram encontrados uma serra, uma faca e vestígios de sangue na casa de banho.

Samsonova, que trabalhava como funcionária de um hotel, foi detida, esta semana, depois de ter sido filmada por câmaras de vigilância a transportar partes do cadáver de uma idosa, em sacos de plástico pretos. O corpo decapitado de Valentina Ulanova, uma mulher de 97 anos, foi encontrado perto de uma ponte na cidade russa. A homicida tomava conta da vítima.

Doze anos antes, no mesmo local, foi descoberto o corpo de um homem, sem cabeça, pernas e braços. A polícia acredita que a vítima era um inquilino da mulher, de 44 anos, e que foi morto durante uma discussão. No diário, estavam descritas as tatuagens do homem e foram encontradas várias provas, entre as quais um cartão de visita do mesmo, em casa de Samsonova.

A idosa confessou ainda ter assassinado outro inquilino. As autoridades suspeitam ainda que tenha matado o marido, que deu como desaparecido em 2005 e nunca foi encontrado.