Economia

Media Capital ganha ao Grupo Renascença

O Bareme muda hierarquia. Grupo da Rádio Comerical ganhou ouvintes diariamente.

O grupo Media Capital Rádios (MCR), que inclui a líder Rádio Comercial, superou pela primeira vez o grupo da Rádio Renascença, na 3.ª vaga do Bareme Rádio, o medidor de audiências da Marktest.

O grupo Renascença obteve 23,8 % e o grupo da Media Capital 23,9%, de acordo com os resultados das entrevistas recolhidas entre 6 de Abril e 21 de Junho,  que reflectem as escolhas em percentagem da população com mais de 15 anos a viver em Portugal continental. Já o grupo RTP, com a Antena 1, Antena 2 e Antena 3, totalizou 6,7%.
Salvador Bourbon Ribeiro, director comercial do sector de rádios da Media Capital, que é também proprietária da TVI, refere que, embora a Rádio Comercial «seja a estação líder de audiências há três anos, é a primeira vez que o grupo supera o grupo da Renascença». 

Isto, sustenta, apesar da desvantagem com que o MCR corre contra a concorrência: «Partimos em situação de inferioridade porque o Grupo Renascença tem duas redes com cobertura nacional, a Renascença e a RFM, e nós apenas uma, a Rádio Comercial». 

Por outro lado, enquanto a Media Capital tem cinco estações, o grupo pertencente ao Patriarcado de Lisboa e à Conferência Episcopal tem quatro. Além das duas rádios de cobertura nacional, conta com a Mega Hits – com 2,8 % de audiência entre uma população juvenil – e a Rádio Sim, dirigida a ouvintes sénior e que obteve 1,1% de audiência na 3.ª vaga do Bareme. 

Salvador Bourbon Ribeiro refere que o primeiro grande feito do grupo Media Capital foi «a conquista da liderança por parte da Rádio Comercial há três anos». A consolidação do grupo tem passado «por um grande esforço de renovação do portfolio». Assim, a estratégia tem sido criar para cada público «uma rádio que faça sentido». Além da mainstream Comercial – com o ‘cabeça de cartaz’ Programa da Manhã – o grupo tem um leque de ofertas que inclui a Cidade (a rádio juvenil líder, com 3,1% de audiências), a Vodafone FM (com programação fora do mainstream), a Smooth FM (para a faixa acima dos 30 anos) e a M80. Esta última, avalia Bourbon Ribeiro, «tem tido uma performance extraordinária». 

«A M80 é a maior rádio musical que não tem cobertura nacional, apenas a da rede regional Sul», diz. O mais recente relatório dá à estação um nível de audiências de 4,4% da população.