Desporto

Supertaça. O cérebro de Jesus e os assobios de Rui Vitória

Jorge Jesus entregou o favoristismo na Supertaça ao Benfica, a equipa que treinou nos últimos seis anos. Rui Vitória sacudiu o capote e confessou que não vê uma equipa à frente da outra. O novo técnico do Sporting partiu ao ataque e apontou o dedo ao rival, que "não mudou nada" desde que saiu, mas o novo líder das 'águias' defendeu-se dizendo que vai fazendo o "seu trabalho".

Lusa

O primeiro dérbi da época 2015/16, que vale um troféu, começou mais cedo no banco de suplentes dos rivais da Segunda circular, após uma entrevista de antevisão à RTP. O SOL faz-lhe um ponto de situação do duelo que começou fora das quatro linhas.

Passamos primeiro a bola a Jorge Jesus, que está por estes dias no 'olho do furacão'

Começou por jogar à defesa"Eu sou um, a equipa são onze". 

Depois ganhou balanço, subiu no terreno e fez pressão sobre o adversário: "Nos últimos dois anos, o Benfica, de oito títulos, ganhou sete. A vantagem está no detentor do título, numa equipa que tem uma ideia de jogo que mantém".

Já com a bola em seu poder, lançou-se ao ataque: "Nada foi mudado [no Benfica]. As ideias que estão lá são todas minhas. Eu cheguei ao Sporting e mudei tudo. O Benfica não mudou nada, zero. Vou jogar contra uma equipa com ideias minhas. O cérebro já não está lá, o treino não vai ser o mesmo, mas tudo aquilo continua".

E não ficou por aqui. Corrosivo como é habitual, Jesus repetiu a investida, mas desta vez sem nenhuma entrada a pés juntos pelo meio: "Tenho o maior respeito pelos adeptos do clube onde estive seis anos e me trataram muito bem. Continuam a reconhecer o meu trabalho e valor. Hoje estou num clube diferente. Não sou hipócrita. Não vou dizer que se ganhar não vou festejar. Estou nesta casa com muito prazer e muito gosto. Não morri 'desportivamente' como treinador do Benfica nem irei morrer como treinador do Sporting", explicou o novo 'rei leão' em Alvalade.

Por fim, Jesus virou-se para dentro de portas e mostrou-se satisfeito com o seu plantel. Sente-se convicto das permanências de William e Slimani em Alvalade e comenta o desvio do avançado grego Mitroglou para a Luz com mais uma alfinetada.

"Se o quiséssemos já o tínhamos", disparou.

A posse de bola segue agora de Rui Vitória, que se mostra à altura do rival

O novo treinador das 'águias', ainda a balançar-se para novos voos, optou por uma táctica mais defensiva.

"O caminho está traçado e não é um jogo que nos vai pôr mais ou menos em alerta", explicou.

Ainda assim, Rui Vitória afasta os 'fantasmas' de uma pré-temporada sem grandes resultados e garante que os seus pupilos estão prontos para o dérbi na Supertaça.

"Vamos para a luta com grande vontade de ganhar, com ambição. Vejo os jogadores com uma entrega estupenda. Estamos prontos. Temos feito as coisas no timing possível e necessário. Vamos fazendo o nosso trabalho", analisou, antes de admitir que não vê uma equipa favorita.

"Vai ser um jogo onde estarão duas equipas que merecem lá estar. Respeitamos o adversário. Estamos preparados para a luta, especialmente para este desafio. Não acredito que haja favoritismo e acredito que os pormenores podem fazer a diferença", destacou.

A ligação com Luís Filipe Vieira também foi abordada: "Eu e o presidente estamos em sintonia perfeita. Não preciso que ninguém nos assobie aos ouvidos", revelou Rui Vitória.

Está lançado o dérbi, que role a bola no domingo.

hugo.alegre@sol.pt