Sociedade

Sheik Munir acusado pela mulher de violência doméstica

A mulher de Osheik David Munir, líder da Mesquita Islâmica Central de Lisboa, acusa o marido de lhe ter desferido dois golpes com o cotovelo que a deixaram com uma intensa hemorragia, obrigando-a mesmo a receber tratamento hospital e a ficar internada, avança o Correio da Manhã.

 

Nazira Barakzay, uma refugiada do Afeganistão de 29 anos, casada com David Munir, de 52 anos, desde Janeiro de 2014, apresentou queixa à polícia.

De acordo com a queixa, revelada pelo Correio da Manhã, as agressões ocorreram depois da meia-noite desta terça-feira no quarto do casal dentro da mesquita, na sequência de uma discussão. A mulher diz que foi insultada e que acabou por deitar-se. Foi já na cama que o marido a atingiu duas vezes com cotoveladas.

Nazira contactou uma amiga a pedir auxílio e foi esta quem chamou as autoridades. À polícia o sheik desmentiu a agressão e disse que a mulher sofre de doença bipolar. O INEM transportou-a ao hospital com ferimentos no nariz e hemorragia.

Nazira apresentou queixa-crime, mas regressou à mesquita, onde tem dormido no quarto da filha e sem falar com o marido.

O Correio da Manhã escreve que Munir não comentou o caso por considerar tratar-se de “uma questão pessoal”.