Desporto

Benfica só processou Jorge Jesus depois de perder a Supertaça

O Benfica esperou um mês e meio para informar Jorge Jesus que o iria processar por alegada quebra unilateral do contrato. Foi na passada sexta-feira, dia 14 de Agosto, cinco dias após a derrota na Supertaça frente ao Sporting e 45 após expirar o contrato entre clube e treinador (a 30 de Junho), que os ‘encarnados’ lhe deram conhecimento que iriam avançar para uma acção em tribunal.

JOSE SENA GOULAO/LUSA

O SOL sabe que as duas partes tinham uma reunião marcada para a semana a seguir à Supertaça - que os ‘leões’ venceram por 1-0 -, a fim de discutirem o mês de salário (Junho) que o clube da Luz não pagou a Jesus. Mas o Benfica acabou por adiar a reunião e, na última sexta-feira, comunicou a intenção de processar o técnico campeão nacional. 

Segundo o SOL apurou, depois de ter sido anunciada a contratação de Jesus pelo Sporting, a 5 de Junho, e antes de expirar o contrato com o Benfica, no dia 30 do mesmo mês, o clube ‘encarnado’ enviou duas cartas ao treinador a convocá-lo para se apresentar no centro de estágio do Seixal.

Jesus já tinha mudado de casa, da Margem Sul do Tejo para o Estoril, e quando abriu a primeira, enviada para a morada antiga, já havia passado o dia para se apresentar ao serviço. Quando leu a segunda, ainda ia a tempo de cumprir a indicação do Benfica, mas decidiu não a acatar. Não por se encontrar em gozo de férias, mas porque, uns dias antes, a 4 de Junho, tinha sido barrado à entrada das instalações do Benfica quando tentava ir buscar os seus objectos pessoais – que acabariam por ser entregues em sacos de plástico em sua casa.

Entretanto, no dia 15 de Junho, o Benfica também apresentara Rui Vitória como o substituto de Jorge Jesus para a nova temporada. É para já desconhecida a tarefa que o Benfica pretendia que Jesus executasse nesses dias. Certo é que será o tribunal a mediar os argumentos de parte a parte, uma vez que o clube da Luz já fez saber que não há qualquer possibilidade de entendimento extrajudicial. 

A acção em si só poderá dar entrada na Justiça a partir de 1 de Setembro, quando terminarem as férias judiciais, uma vez que o Benfica não o fez antes do seu início, a 16 de Julho.

rui.antunes@sol.pt