Internacional

Síria. Estado Islâmico decapita antigo especialista em antiguidades

O grupo autoproclamado Estado Islâmico decapitou o antigo chefe do Departamento de Museus e Antiguidades da cidade de Palmira, na Síria, com 82 anos, informou o atual detentor do cargo.

Fotos que mostram o corpo de Khaled al-Assaad preso a um poste em Palmira foram colocadas na Internet por apoiantes do Estado Islâmico.

O atual chefe do Departamento de Museus e Antiguidades, Maamoun Abdelkarim, disse à AFP que Assaad foi executado pelo grupo 'jihadista' na terça-feira, em Palmira, na província de Homs.

"O Daesh [Estado Islâmico] executou um dos maiores especialistas em antiguidades da Síria", afirmou Abdelkarim.

"Foi o chefe das antiguidades de Palmira por mais de 50 anos e estava reformado há 13. Tinha 82 anos", acrescentou.

Abdelkarim disse que o corpo do especialista foi pendurado nas ruínas de Palmira depois de ter sido decapitado.

No entanto, a foto que circula 'online' mostra um corpo numa estrada, atado ao que parece ser um poste de iluminação.

Um cartaz junto ao corpo identifica-o como sendo Assaad.

O grupo acusa-o de ser leal ao regime sírio, ao representar o país em conferências no estrangeiro com "infiéis".

Lusa/SOL