Politica

Martin Schulz na rentrée do PS

António Costa vai contar com a presença do presidente do Parlamento Europeu, o socialista Martin Schulz, ao seu lado na rentrée do PS, a 29 de Agosto, em Santa Cruz. A partir do próximo fim-de-semana, os socialistas vão intensificar a campanha com acções de rua e uma missão em mente: esclarecer os portugueses das diferenças entre o programa do PS e da coligação. Sem crispação e, se possível, sem Sócrates. 

“Vai haver tentativas de desviar a atenção, mas nós vamos sempre trazer a discussão dos programas políticos. Não vamos largar o osso”, garante ao SOL o director de campanha, Duarte Cordeiro.

A rentrée do PS será feita no ‘Summer Camp’ da JS, que este ano junta os socialistas europeus de 25 a 30 de Agosto, em Torres Vedras. Duarte Cordeiro destaca a importância de haver “figuras internacionais a apoiar Costa na rentrée”. Além de Schulz, estarão presentes o presidente do Partido Socialista Europeu (PSE), Sergei Stanishev, e a presidente das Mulheres Socialistas do PSE, Zita Gurmai.

Costa e Schulz estarão lado a lado no sábado. Já no domingo, o líder do PS terá um grande comício em Santo Tirso. Todo o mês de Setembro será de campanha intensa e contacto directo com a população. Mas sem crispação, prometem os socialistas, mesmo depois dos ataques de Passos e Portas ao PS, no Pontal. “Vamos continuar a apostar no esclarecimento das pessoas e na apresentação de alternativas. O PS lidera a agenda e quando se lidera é-se atacado”, afirma o director de campanha. “Há críticas ao programa político e também as faremos, mas isso não é crispação, é combate político”, justifica.

Quanto a José Sócrates, preso preventivamente em Évora, enviou à SIC e ao JN uma nova carta em que acusa a justiça de ter como “verdadeira motivação condicionar as próximas eleições e impedir a vitória do PS”, o que ofuscou o debate sobre os custos do programa eleitoral, apresentados por António Costa, no mesmo dia.

A estratégia do PS mantém-se: separar a justiça da política. “Vou estar centrado na discussão do meu programa eleitoral”, reagiu Costa. Em Setembro, em plena campanha, a medida de coacção será revista e Sócrates poderá sair da prisão.

sonia.cerdeira@sol.pt