Economia

Segunda-feira negra nas bolsas, Lisboa esteve a cair 8% [ACTUALIZAÇÃO]

A forte queda da bolsa de Xangai arrastou esta segunda-feira os mercados internacionais para o vermelho.

A principal praça chinesa fechou a cair 8,49%, a maior queda em oito anos. O contágio foi imediato na Ásia: Tóquio caiu 4,6% e Hong Kong 5,17% - mínimos de um e dois anos, respectivamente.

Há momentos, a bolsa de Nova Iorque abriu em queda acentuada. O Dow Jones recuava 6% e o Nasdaq caía mais de 8% na abertura. 

Na Europa, e depois de uma manhã em vermelho, a reacção à abertura dos mercados no outro lado do Atlântico veio afundar definitivamente as cotações. Cerca das 14h30, em Lisboa, o PSI20 esteve a cair 8%. Frankfurt e Paris registavam quedas similares.

No centro das preocupações dos investidores está o receio de que os estímulos do Governo chinês não sejam suficientes para travar o arrefecimento da segunda maior economia do mundo. Um crescimento menor da China (que apesar de tudo expandiu 7% no segundo trimestre) penalizaria fortemente economias em todo o mundo, sobretudo as exportadoras de matérias primas – produtores de petróleo como Angola, por exemplo.

Em consequência, o preço do petróleo caiu para mínimos de seis anos (45 dólares o barril de Brent, 40 o barril de referência norte-americano). Já o ouro, em contrapartida, está a valorizar como refúgio para os investidores.