Internacional

Legião de Honra para turistas que evitaram atentado no TGV

O Presidente francês, François Hollande, condecorou hoje com a Legião de Honra os três passageiros norte-americanos e um britânico que seguiam no TGV entre Amesterdão e Paris e que, na sexta-feira, evitaram que indivíduo marroquino cometesse um atentado.

AP Photo/Michel Euler

"Uma carnificina. Era o que ele teria feito, se não o tivessem impedindo, correndo todos os riscos, incluindo o da própria vida", declarou Hollande, durante a cerimónia no Eliseu de condecoração dos norte-americanos Spencer Stone, de 23 anos, Alek Skarlatos, de 22 (ambos militares, em férias) e o amigo Anthony Sadler, de 23, e o britânico Chris Norman, de 62.

O atacante foi identificado como Ayoub El Kahzzani e tinha em sua posse uma espingarda de assalto Kalashnikov, uma pistola automática Lugger, um carregador de 9 mm e uma faca.  Segundo o Ministério do Interior francês, trata-se de um cidadão “marroquino, de 26 anos, identificado pelas autoridades espanholas junto dos serviços de informações franceses em Fevereiro de 2014 como tendo ligações a um movimento islâmico”.

Spencer Stone é militar da força aérea dos EUA destacado na Base das Lajes e sofreu ferimentos de arma branca numa mão durante a luta com o marroquino que estava prestes a atacar o TGV com 554 passageiros. O americano encontrava-se de férias com mais dois amigos, Alek Skarlatos e Anthony Sadler. Os três, com a ajuda de um treinador de râguebi britânico, Chris Norman, conseguiram imobilizar o atacante e evitar outro ataque terrorista em solo europeu.

“Ele foi o primeiro a atirar-se contra ele, foi ele que levou facadas e ficou ferido. Nenhum de nós ficou, mas o Spencer sim, e não teve medo”, contou Anthony Sadler à Reuters.  “Spencer correu 10 metros até ele. Começámos a bater-lhe até ficar inconsciente”, contou Alek Skarlatos à Paris-Match. Um passageiro franco-americano já tinha tentado travar o agressor sem sucesso, que acabou por disparar. A bala entrou e saiu pelo pulmão, pelo que não teve de ser operado, ficando sob observação no Hospital de Lille.