Economia

Chinês mais rico perde tanto como a bolsa portuguesa na ‘segunda-feira negra’

O dia de ontem, marcado pela derrocada das bolsas, também terá sido negro para Wang Jianlin. O homem mais rico da China – e da Ásia – viu desaparecer da sua fortuna 3,6 mil milhões de dólares, ou seja, cerca de 3,2 mil milhões de euros.

Um homem só perdeu tanto como as principais empresas portuguesas cotadas em Lisboa. Ontem, o PSI-20 caiu 5,8%, o equivalente a 3,1 mil milhões de euros.

Segundo o índice de bilionários da Bloomberg, Wang Jianlin terá mesmo tido a maior perda entre os mais ricos do mundo, devido à desvalorização da praça de Xangai, que ontem fechou a recuar 8,5%. Foi o maior ‘trambolhão’ numa sessão diária desde 2007, naquela que foi, por isso, classificada de ‘segunda-feira negra’.

O fundador e presidente do grupo Dalian, um gigante chinês do imobiliário comercial, da hotelaria e da indústria do entretenimento, viu as suas posições nas várias subsidiárias da companhia desvalorizar 3 mil milhões de dólares (2,6 mil milhões de euros), por exemplo.

Ainda assim, Wang Jianlin, que também detém uma posição no Atlético de Madrid e quer construir uma mini-hollywood chinesa, continua a ter uma fortuna avaliada em 31,2 mil milhões de dólares (27,3 mil milhões de euros), de acordo com a Bloomberg.

Além do bilionário chinês, também outros magnatas perderam com o pânico de ontem nos mercados, como Bill Gates, Carlos Slim ou Amancio Ortega, o fundador da Inditex, que detém a Zara, cuja riqueza recuou 1,5 mil milhões.

Na sessão de hoje, a bolsa de Xangai fechou a perder 7,6%.