Desporto

O reencontro 'especial' de Pizzi com o Atlético de Madrid

O futebolista Pizzi reagiu hoje ao sorteio da Liga dos Campeões, no qual o Benfica vai defrontar os espanhóis do Atlético de Madrid, os turcos do Galatasaray e os cazaques do Cazaquistão, grupo que considera ter "equipas difíceis".

PAULO NOVAIS/LUSA

À margem de uma sessão de autógrafos que decorreu na Megastore do Estádio da Luz, e que também contou com a presença do central brasileiro Jardel, o médio dos encarnados assumiu que o objetivo do clube é chegar aos oitavos de final.

"Há equipas complicadas. Vamos enfrentar todos os jogos com a mesma ambição e com a mesma confiança de sempre. Toda a gente sabe qual é o nosso objetivo, que é tentar passar a fase de grupos, sabendo que é um grupo com equipas difíceis", afirmou.

Pizzi, que representou em 2011/12 o Atlético de Madrid, afirmou que será um reencontro "especial", pois trata-se de um clube em que cresceu "como pessoa e jogador".

"Fiz bastantes amigos no Atlético de Madrid, foi um ano bastante positivo para mim. Deu para crescer, como pessoa e jogador, e vai ser um reencontro bom, especial, mas obviamente espero que o Benfica ganhe", assumiu.

Assumindo que "na Liga dos Campeões não há grupos acessíveis", o internacional português explicou ter mais conhecimento do Galatasaray do que dos estreantes do Astana, que conseguiram alcançar pela primeira vez na história a fase de grupos da Liga dos Campeões.

"Tenho um conhecimento mais profundo do que é o Galatasaray e não tanto do que é o Astana, mas, obviamente, para estar na fase de grupos da Liga dos Campeões tem bastante qualidade e certamente que vão ser jogos bastante complicados. Mas, temos sempre a ambição de ganhar e poder passar a fase de grupos".

Sobre o início de temporada, Pizzi assumiu que os últimos jogos "não correram bem", mas deixou claro que os jogadores estão "conscientes do percurso a fazer", mostrando-se confiante "em todas as ideias do treinador".

Lusa/SOL