Economia

Multibanco vai aceitar notas para pagamento de serviços e dar troco em moedas

O Multibanco assinala hoje três décadas de existência. Para comemorar a data, a SIBS está já a estudar soluções de pagamento inovadoras. 

Actualmente, se quiser fazer um pagamento num ATM tem de ter saldo disponível na conta bancária. Mas em essa realidade irá mudar em breve.

Fazer o pagamento de serviços em dinheiro vivo no Multibanco e receber o troco em moedas é uma das soluções já em estudo pela SIBS.

“O comum cidadão faz futurologia enquanto a SIBS está já a trabalhar no futuro. Assim, como há 30 anos começou a desenvolver e a criar o futuro, a SIBS está já a trabalhar naquilo que será o sistema daqui a uns anos”, diz a gestora da rede Multibanco em comunicado.

O Correio da Manhã noticia que o novo salto tecnológico da SIBS deverá estar disponível já no próximo ano. As novas máquinas de Multibanco instaladas em 2016 deverão permitir a possibilidade de se fazer pagamentos com notas e receber o troco em moedas.

O Multibanco nasceu a 2 de Setembro de 1985, quando a SIBS instalou um conjunto de nove caixas automáticos Multibanco em Lisboa e no Porto. “Iniciava-se uma nova era na vida dos portugueses. Primeiro, estranharam, mas depois entranhou-se”, recorda o comunicado da empresa.

As primeiras caixas Multibanco permitiam fazer levantamentos, consultas de saldos e movimentos e a alteração do PIN do cartão MB.

Trinta anos depois, “estão disponíveis mais de 90 tipos diferentes de operações, a grande maioria inventada pela SIBS, como o carregamento do telemóvel ou do passe de transportes e o pagamento de serviços”.

Existem cerca de 13 mil caixas automáticos de norte a sul do País, incluindo as regiões autónomas dos Açores e da Madeira. Diariamente, são levantados das máquinas de Multibanco 71 milhões de euros. A SIBS gere cerca de três mil milhões de operações financeiras por ano com um valor superior a 4,5 mil milhões de euros e conta com mais de 300 milhões de utilizadores, nacionais e estrangeiros.

Pioneira no desenvolvimento tecnológico, a SIBS é considerada uma referência internacional e um dos maiores processadores de pagamentos da Europa e África. A empresa compromete-se a inovar nos próximos anos: “O trabalho não está concluído. Assim como há 30 anos não se imaginava como iria evoluir o sistema de pagamentos electrónicos em Portugal, também nos dias de hoje não é possível ter uma ideia exacta como vai ser daqui a 30 anos”.

sandra.a.simoes@sol.pt