Cultura

'Sem saída'. Até onde ia para proteger aqueles que ama?

O thriller de John Dowdle partiu da experiência do próprio após viajar para a Tailândia, dias após o país sofrer uma revolução militar. Embora a viagem tenha decorrido sem problemas, o realizador não conseguiu deixar de imaginar se não tivesse sido assim. A ideia de ficar preso num país estrangeiro, em conflito, amedrontava-o. Ainda mais quando considerava o cenário com os filhos presentes.

SEM SAÍDA, um intenso thriller internacional, centra-se num empresário americano (Owen Wilson) que, juntamente com a sua família, recomeça a vida num país do sudeste da Ásia. Mas mal chega, dá por si no centro de uma violenta revolta política, e quando a cidade sofre um impiedoso ataque por parte dos rebeldes, são obrigados a encontrar desesperadamente uma forma de fugir em segurança.

Se estava à espera de ver Pierce Brosnan no papel principal, desengane-se. Em lugar do ex-007, o realizador optou por Owen Wilson para o papel de Jack Dwyer por se tratar de um actor com quem o público se consegue identificar mais facilmente. “Gostávamos de dizer que ele [Owen] é um homem sem qualquer conjunto de habilidades”, explicou Drew Dowdle, o argumentista. “Também queríamos o elemento de ter crianças mesmo no centro do perigo. Não são adolescentes, mas mesmo pequenas crianças: a carga mais preciosa”.

Para garantir que existia cumplicidade entre Wilson, Lake Bell, que interpreta o papel de sua esposa, e as filhas de ambos no filme, o realizador levou-os para a Tailândia duas semanas antes das filmagens, para usufruírem de tempo de lazer, como se de uma família verdadeira se tratasse. Capturar a emoção e intensidade que as personagens sentem como família tornou-se o objectivo principal do filme. “Existem cenas neste filme em que somos colocados em situações intensas e que estou a tentar manter a minha família viva”, diz Owen Wilson. “Quando fazemos cenas deste género pensamos, naturalmente, o que faríamos se os nossos filhos estivessem naquela situação.”

Para os irmãos Dowdle, a messagem que esperam que o espectador leve do filme é da importância e a força da família. “Se uma família se unir e trabalhar como uma unidade, não há nada que não consigam ultrapassar. No início da nossa história, a nossa personagem principal sente que desiludiu a família e que talvez estejam melhor sem ele. Mas no auge da crise, apercebe-se a importância do seu papel. Este filme, para nós, não é sobre sobreviver um golpe de estado; é sobre uma família se unir para sobreviver.”

Veja, aqui, o trailer do filme:

“Sem Saída” estreia na próxima quinta-feira, 17 de Setembro em digital 2D e é distribuído pela NOS Audiovisuais.