Internacional

Jovens refugiados estão a ser recrutados por fundamentalistas muçulmanos na Alemanha

Os requerentes de asilo, recém-chegados à Alemanha, especialmente os jovens que estão sozinhos, interessam aos fundamentalistas muçulmanos que os tentam recrutar, disseram os serviços de informações alemães, citados pela agência noticiosa alemã DPA.

EPA HERBERT P. OCZERET
EPA CLAUS FISKER

"Os salafistas procuram abordar os jovens refugiados não acompanhados, que chegam ao nosso país sem família e que procuram apoio", explicou na quinta-feira um porta-voz dos serviços de informações da Baviera (sul) à DPA. 

De acordo com esta fonte, as tentativas de contacto acontecem principalmente nas imediações dos centros de acolhimento, mas também, de forma mais isolada, perto da estação ferroviária de Munique, à qual chegaram milhares de refugiados nos últimos dias.

"Os fundamentalistas querem usar a precariedade e o desespero dos refugiados para os desviar para os seus próprios fins", acrescentou.

Na terça-feira, os serviços de informações da Renânia do Norte-Vestfália afirmaram que também nesta região os fundamentalistas entram em contacto com os requerentes de asilo através de alegadas organizações de solidariedade.

"Vamos informar e sensibilizar os funcionários das estruturas de acolhimento sobre este contexto e os métodos usados nestas tentativas de aproximação", anunciou o porta-voz, também citado pela DPA.

Ao abrigo dos sistemas de quotas em vigor na Alemanha, a Renânia do Norte-Vestfália e a Baviera são as duas primeiras regiões de acolhimento dos refugiados, com 21% e 15%, respetivamente, dos recém-chegados.

A Alemanha prevê receber 800 mil pedidos de asilo este ano, ou seja, quatro vezes mais do que no ano anterior. Os sírios, que fogem do país devastado pela guerra, formam o primeiro grupo de candidatos ao estatuto de refugiado.

Lusa/SOL