Internacional

Crianças separadas dos pais durante violência na fronteira da Hungria

Várias crianças foram hoje separadas das suas famílias pela polícia húngara durante as cenas caóticas que ocorreram quando os migrantes tentaram passar a fronteira da Sérvia com a Hungria, disse a Amnistia Internacional.

A organização disse que pelo menos nove pessoas, incluindo quatro crianças, foram separadas pela polícia húngara depois dos migrantes tentarem passar a fronteira.

As forças de segurança responderam lançando gás lacrimogéneo, provocando o pânico.

"As famílias estão desesperadas para se reunirem com os seus filhos. Já experimentaram uma viagem traumática até à fronteira e o uso da força por parte da polícia. Agora perderam a segurança de estar com os seus pais", disse em comunicado, a diretora de resposta a crises da Amnistia Internacional, Tirana Hassan.

A Amnistia Internacional disse que as crianças terão sido levadas para um edifício de controlo das fronteiras.

"As autoridades húngaras deverão entregar imediatamente aquelas crianças às suas famílias", disse.

A fronteira entre a Hungria e a Sérvia era um importante ponto de passagem para a Europa para os migrantes e refugiados que fugiram da guerra na Síria e de outros locais.

Um homem disse à Amnistia Internacional que o seu filho de oito anos lhe foi tirado quando o segurava pela mão.

Um outro homem explicou à organização que estava à procura de duas crianças, com idades entre seis e oito anos, enquanto testemunhas afirmaram ter visto a polícia húngara pegar numa mãe e na sua criança e levá-los.

Lusa/SOL