Politica

António Costa defende ‘liberdade dos fracos’ contra a ‘liberdade de escolha da direita’

O secretário-geral do PS acusou hoje a coligação PSD/CDS-PP de "ameaçar" o modelo social português e contrapôs ao conceito liberal de liberdade de escolha a ideia de "liberdade dos fracos" num sistema de justiça social.

António Costa falava no final de uma visita de uma hora ao Centro Hospitalar da Covilhã, onde esteve acompanhado pelos candidatos a deputados socialistas pelo círculo eleitoral de Castelo Branco.

"A defesa do SNS [Serviço Nacional de Saúde], o acesso à escola pública e a garantia de um regime público de pensões são fatores absolutamente essenciais para a defesa do nosso modelo social, algo que está ameaçado. O objetivo escondido e não assumido por parte da coligação de direita é privatizar as receitas da Segurança Social, transferir recursos fundamentais para a escola privada e desviar recursos do SNS para financiar a medicina privada e desmembrar este sistema público", declarou o líder socialista.

António Costa criticou depois o conceito de "liberdade de escolha", considerado basilar na filosofia política das correntes mais liberais.

"A liberdade de escolha só existe efetivamente quando quem não tem nenhum recurso pode encontrar numa escola para os seus filhos, numa saúde para si próprio e numa Segurança Social para os seus pais a mesma proteção que encontraria se tivesse recursos para recorrer ao sistema privado. A liberdade é a liberdade dos fracos. Liberdade não é reforçar a oportunidade dos que têm mais recursos para poderem deixar de contribuir solidariamente para uma sociedade mais inclusiva", defendeu.

Lusa/SOL