Internacional

Lava-Jato soma e segue: tesoureiro do PT condenado no Brasil

O ex-tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT), João Vaccari Neto, e o ex-diretor de Serviços da petrolífera estatal brasileira Petrobras, Renato Duque, foram condenados por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. As penas de prisão somam 15 anos e quatro meses para Vaccari e 20 anos e oito meses para Duque.

Renato Duque, ex-diretor de Serviços da petrolífera estatal brasileira Petrobras

São as condenações mais pesadas, até agora, no âmbito da operação Lava-Jato, que investiga um mega-escândalo de corrupção entre empresários, políticos e funcionários da Petrobras, com dinheiros públicos, que vigorou pelo menos entre 2004 e 2014.

E são também as primeiras condenações a Vaccari e Duque (este condenado ainda por associação criminosa), que resultam da 10.ª fase da Lava-Jato, iniciada em março de 2015 e batizada de ‘Que país é esse?’. A frase é do próprio Renato Duque, quando foi então detido pela segunda vez, após uma primeira detenção em novembro de 2014.

Foi nesta etapa da investigação que as autoridades judiciais brasileiras conseguiram identificar doações a partidos com valores desviados para subornos no PT, implicando em definitivo o partido do ex-Presidente Lula da Silva e a da atual Presidente Dilma Rousseff.